Mensagem subliminar (ou nem tanto) de fundo cristão no filme “Rocky Balboa” * Artigo

11 06 2007

Rocky Balboa

Aqui na CINEGOSPEL você leu na reportagem Stallone é crente e Rocky Balboa é gospel que o astro afirma ser um cristão renascido. Fato ou não, a verdade é que o grandalhão inseriu em seu último filme mensagens cristãs que podem passar despercebidas. O olhar atento do pastor Marcelo Eliziário Vidal, integrante da nossa equipe de articulistas, detectou cada uma. Avalie por si mesmo:

Rocky Balboa

1) No restaurante de Rocky Balboa (Adrian’s), existe um velho lutador (Spider Ricco, o seu primeiro oponente na abertura do filme Rocky, um Lutador, de 1976) convertido ao evangelho. Ele lê a Bíblia incessantemente. Após algumas cenas, vemos o mesmo ex-lutador lavando pratos. O mesmo diz a Rocky que “Jesus lhe disse que ele deveria fazer aquilo”, ou seja, servir, ser útil, prestar serviço (cf. Mc 10. 45);

Rocky Balboa

 

2) Em outro momento, após reconhecer uma outra personagem (a pequena Marie, também personagem do primeiro filme), Rocky põe uma lâmpada no bocal da entrada de sua casa (um tanto escura e sombria). Ao ir embora, ele diz: “Pequena Marie, que se faça a luz!”. Rocky quer trazer luz, ordem e alegria à vida de Marie. (cf. Gn 1. 1-5);

Rocky Balboa

3) Mais à frente, Rocky conversa com seu cunhado, Paulie, e lhe comunica o desejo de voltar a lutar. E lhe diz também que ele tem “algumas coisas a serem libertadas do porão”; na verdade, diz ele, “é algo parecido com uma fera”. Aqui, cremos que pode ser uma alusão ao exorcismo ou à luta entre a nova criatura em Cristo Jesus, contra a velha criatura oriunda do pecado devido à transgressão de Adão, no Éden. (cf. Mc 5. 1-15; Rm 7. 15-24; 8. 11; Gn 3);

Rocky Balboa

4) Rocky também tem uma conversa com seu filho, Rocky Jr., e lhe diz que tem o desejo de voltar a lutar. Seu filho lhe pergunta se ele não está “um pouco velho para isto”. Rocky lhe responde: “por que eu não posso mostrar aos outros que ‘eu sou’?”, numa analogia à figura divina. Deus, por acaso, envelhece? Suas promessas caducam ou perdem a validade? Deus não é o princípio e o fim, o Alfa e o Ômega? (cf. Sl 77. 8; Is 44. 6-7; Ap 22. 13);

Rocky Balboa

5) Antes da grande luta final, o ex-boxeador convertido Spider Ricco lê para Rocky a seguinte passagem bíblica: “…Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos” (Zc 4. 6b). Também, vale a pena lembrar que um dos comentaristas da luta chama a luta de “execução” e que ali, no ringue, seria servida “a última ceia” (alusões à Crucificação e à Ceia, cf. Mt 14. 22-26; Lc 23. 33-38; 44-49);

Rocky Balboa

 

6) Após a grande luta, três detalhes aparecem:
a. O último jurado a dar nota chama-se “Bill Graham” (famoso evangelista americano);
b. Ainda no cenário da luta, Rocky aponta o dedo para o alto, conferindo a Deus a vitória, não da luta em questão, mas sim, da luta da vida e do triunfo do espírito humano frente às dificuldades (cf. Jr 13. 16a; Lc 2. 14; Ef 3. 21);
c. Rocky, ao cumprimentar o público, faz uma referência à obra de Michelangelo do teto da Capela Sistina, em que Deus, o Criador, toca a mão do homem, a criatura). Repare no close, onde a cena se fecha (é o último cumprimento).

Pr. Marcelo Eliziário Vidal
Igreja Presbiteriana do Caju (RJ)

Anúncios

Ações

Information




%d blogueiros gostam disto: