Invisível * Crítica

23 08 2007

Invisivel 1 Entre a vida e a morte

Invisível é vendido como um filme de fantasmas. É compreensível, visto que produções sobre o além exercem um estranho fascínio sobre o público – o que ajuda a engordar as bilheterias. Mas este longa-metragem de David Goyer não é bem um filme acerca do sobrenatural, embora utilize o tema como premissa. Invisível é mais um comentário social sobre famílias destruídas, sobre perdas e sobre os difíceis dramas existenciais enfrentados na adolescência. Na verdade, nem mesmo fantasmas no sentido completo da palavra há na história, uma vez que o protagonista não está morto.

Invisivel 2Tudo começa quando o jovem solitário e superprotegido Nick Powell é acusado falsamente de ter entregue à polícia uma conhecida que tem ligações com um grupo de skinheads. Dispostos a se vingar, os punks espancam Nick e o deixam à beira da morte numa floresta. Agora, seu ”espírito” vaga na Terra enquanto o corpo luta para sobreviver. O jovem tem que descobrir o que está por trás de seu espancamento (há mais do que se imagina em princípio) antes que seja tarde demais. De uma trama sobrenatural, o filme acaba se tornando uma história redentora de amor.

Invisivel 3Invisível tem os mesmos produtores do espírita O Sexto Sentido e parte da idéia de que é possível uma alma sair do corpo e ficar vagando pela terra. Biblicamente, só isso já serviria para condenar o filme ao limbo da heresia. Mas depois vêm à tona muitas informações não-reveladas de início, que transformam a produção em uma história que merece ser vista (sabendo-se sempre que é uma alegoria que não deve ser levada a sério, é claro). A caminhada dos personagens mostra que a morte é a pior solução possível para seus problemas – esteja você buscando o suicídio ou a morte de terceiros. E, na medida em que Nick visita seus conhecidos sem que eles saibam que ele está presente, fica claro que, entre quatro paredes, as pessoas são bem diferentes do que em público, um diagnóstico da hipocrisia latente do ser humano.

Invisivel 4O roteiro tenta explicar com um argumento bem fantasioso por que o espírito de Nick ficou preso à Terra. A explicação provoca uma virada interessante. Mas o final de Invisível é inconclusivo. Sua ambiguidade dá margem a diferentes interpretações. O importante é sair da sala de exibição compreendendo melhor o sentimento de angústia adolescente pela busca de identidade. Um dia, você pode precisar ajudar alguém e uma reflexão prévia sobre o tema pode ser bem valiosa.

Maurício Zágari Tupinambá

Cotação 2Cotação 2

 

[veja o trailer]

 

Anúncios