Grindhouse – Planeta Terror * Crítica

7 11 2007

Grindhouse Fuja, fuja, fuja! ”Planeta Terror” vem aí!

O título acima não é brincadeira nem exagero. ”Grindhouse” é um dos filmes mais violentos que eu já vi. Escrito por Robert Rodriguez e Quentin Tarantino, dois mestres da sanguinolência abusiva, o longa-metragem é dividido em dois episódios: ”Planeta Terror”, sobre assassinos psicóticos mutantes, e ”Prova de Morte”, sobre um motorista psicopata que usa seu carro para matar. Os efeitos especiais são asquerosos, a nudez é glorificada, a violência é explorada ao limite e todo mundo se embebeda como se bebesse água.

Grindhouse 1Os diálogos são inteligentes mas, convenhamos, quem consegue prestar atenção aos diálogos com tanta podridão diante dos olhos?! Sem falar que no filme há um pastor que vira um assassino brutal. É pouco? Tem também necrofilia, estupro, centenas de obscenidades e corpos explicitamente nus sendo destroçados.

O diretor Robert Rodriguez disse numa entrevista ao jornal USA Today que fez este filme para chocar “até os fãs mais ávidos da violência”. E conseguiu. Pessoas equilibradas, preocupadas Grindhouse 5com a violência que assola nossas ruas, que valorizam a beleza, a poesia e as coisas boas simplesmente não conseguirão compreender o que levou essa mente doentia a realizar um longa-metragem (e põe longa nisso, são três horas de poluição visual e mental) como este. Não é uma obra de arte. Não é entretenimento. É só algo para dar o que falar. Só. Lamentável.

Grindhouse 3Rodriguez é um diretor talentoso. Quem assistiu a “A Balada do Pistoleiro” vê que o moço tem senso estético, sabe operar uma câmera, conhece os truques da câmera lenta. Pena que ele gasta sua criatividade e competência a serviço de uma história tão insignificante e de um produto tão desprezível como este. É como se o grande escultor Rodin decidisse ganhar a vida esculpindo bonequinhos do Rambo.

Desculpe, Rodin, não quis ofender.

Se você vir um cinema com o título ”Planeta Terror” na marquise, cuidado: ela pode cair em cima de você. Fuja!

Maurício Zágari Tupinambá
Equipe CINEGOSPEL

Cotação: razoável

[Trailer. Advertência: excesso de violência e sugestão de sexo e nudez]

.

.

.

Anúncios

Ações

Information

One response

3 01 2008
Os piores filmes e DVDs de 2007 para evangélicos « * * * C I N E G O S P E L * * * Cinema do ponto de vista cristão †

[…] Grindhouse Planeta Terror (leia crítica no CINEGOSPEL) […]




%d blogueiros gostam disto: