Encantada * Crítica

10 12 2007

Encantada Poster Para as crianças verem sem medo

Ufa… É extremamente animador quando chega aos cinemas um filme a que nossas crianças podem assistir sem que precisemos fazer ressalvas. “Encantada” é um deles. Embora esteja longe de ser uma das produções mais marcantes da Disney, é um longa-metragem que vai (desculpem o trocadilho) encantar os filhos sem que os pais cristãos fiquem preocupados com o conteúdo. Não há mensagens negativas, as bruxas são más (como têm que ser, ao contrário de certos Harry Potter da vida) e o bem fica claramente em oposição ao mal, sem valores relativos. É um filme (olha o trocadilho aí de novo) encantador.

Encantada 5Tudo começa em desenho animado. A bela princesa Giselle vive num mundo colorido e mágico, a típica terra dos mundos de fantasia, cercada de animaizinhos amigos e embalada por canções. Até que a rainha malvada faz suas bruxarias e manda a assustada princezinha para um estranho mundo onde nada é encantado. A propósito: o nosso mundo real. Mais precisamente, a Nova York do século 21. Quando ela se apaixona por um advogado novaiorquino surge a questão: pode um amor de conto de fadas sobreviver no mundo real?

Encantada 1A música, escrita por Alan Menken e Stephen Schwartz, é maravilhosamente produzida e interpretada razoavelmente bem por Amy Adams e James Marsden (o Ciclope de ”X-Men”) em seis cenas musicais muito bem encaixadas na trama. O filme traz divertidas referências a outros personagens da Disney – ou não: até Shrek entra na dança. A passagem de animação para a vida real é bem elaborada pelos técnicos em efeitos especiais e a direção de Kevin Lima (“102 Dálmatas”, “Tarzan”) é bastante bem refletida. Dirigido inicialmente para o público infanto-juvenil, ”Encantada” traz piadas direcionadas também para os adultos, o que torna o filme facilmente digerível pelos maiores de idade.

Encantada 3Giselle é um exemplo para as adolescentes. Inocente, gentil, honesta, altruísta e delicada, tem tudo para se dar mal no nosso mundo cruel. Mas sua bondade acaba agindo em seu favor. Assim como Jesus disse que estamos no mundo mas não somos do mundo, Giselle está neste mundo mas não pertence a ele – literalmente e moralmente. Os valores e as estruturas da nossa sociedade lhe são muito estranhos. Ela é desapegada do dinheiro, preocupa-se com os outros e vê o que há de bom neles. Ao encontrar um casal prestes a se divorciar, ela faz o que todos nós, cristãos, deveríamos fazer numa situação dessas: vai às lágrimas e chora amargamente. Giselle também acaba descobrindo a diferença entre atração e amor verdadeiro, do tipo que dura para sempre.

“Encantada” merece ser visto. Depois que lançarem em DVD, compre. Exiba nas igrejas. Debata com seus filhos e a classe de adolescentes os valores ali apresentados. Certamente Giselle tem muito a nos ensinar.

Maurício Zágari Tupinambá
Equipe CINEGOSPEL

Cotação: ÓtimoCotação: ÓtimoCotação: ÓtimoCotação: Ótimo

 

Estréia prevista no Brasil: 14/12/2007

[Veja o trailer]

Anúncios

Ações

Information

One response

10 12 2007



%d blogueiros gostam disto: