“Piratas do Caribe – No fim do mundo”: fantasmas lucrativos

2 06 2007

Piratas do Caribe 3 Piratas do Caribe 3 Piratas do Caribe 3

 Cotação: regular

Fantasmas quase sempre dão bilheteria. Na série ”Piratas do Caribe” então, põe bilheteria nisso. O primeiro filme, de 2003, arrecadou 653 milhões de dólares (cerca de 1,4 bilhão de reais) em todo o mundo. O segundo episódio, ”O baú da morte”, foi além e rendeu até agora a astronômica quantia de 1,06 bilhão de dólares (cerca de 2,3 bilhões de reais), tornando-se o sexto filme que mais faturou em mais de um século de história do cinema – atrás apenas de “Titanic”, “Guerra nas Estrelas”, “Shrek 2”, “E.T.” e “Star Wars – Episódio 1 – A Ameaça Fantasma”.

No terceiro filme da saga, ”Piratas do Caribe – No fim do mundo”, o pirata Jack Sparrow, interpretado por Johnny Depp, precisa se livrar de uma vez por todas das criaturas do além comandadas pelo espectro Davy Jones. Além da temática espírita, o longa-metragem traz uma razão a mais para que o público cristão olhe a produção com desconfiança: no papel do pai de Jack, Teague Sparrow, está Keith Richards. Ele é ninguém menos que o guitarrista dos Rolling Stones, banda de rock com fortes ligações ocultistas, autora de músicas como ”Sympathy for the devil” [”Afinidade com o demônio”], ”Dancing with Mr. Devil” [”Dançando com o Sr. Demônio”].

(Publicado originalmente pelo colunista Maurício Zágari Tupinambá na coluna Cinevídeo da revista Enfoque Gospel)

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: